Futebol 

Os melhores jovens brasileiros do mundo

Parece que o Brasil tem uma piscina interminável de jovens de classe mundial apenas esperando para irromper em cena. Seja estrelando na Serie A brasileira ou estrelando em ligas por toda a Europa, muitos jovens brasileiros roubam as manchetes todos os anos em uma tentativa de reivindicar um lugar regular na Seleçao. Os nomes de Neymar e Vinicius são agora estrelas de pleno direito, mas quem poderia ser a próxima grande estrela a seguir seus passos? Aqui estão os dez melhores jovens brasileiros do mundo no momento.

Os 10 melhores jovens brasileiros do mundo

Cleiton (Red Bull Bragantino)

O enigma do goleiro brasileiro foi facilitado pela boa forma de Alisson para o Liverpool, mas seu sucessor já poderia estar esperando nas asas.

Cleiton, de 23 anos, é titular das equipes juvenis brasileiras desde 2017 e finalmente teve sua chance de brilhar com o Atlético Miniero em 2019, marcando 25 partidas pela primeira vez em sua carreira na Série A. Sua bela forma chamou a atenção dos recém-promovidos Red Bull Bragantino, a mais nova adição à rede de clubes de futebol Red Bull, que o contrataram para ser o número um deles nas próximas temporadas.

Um par de temporadas fortes com Bragantino poderia abrir as portas para uma mudança para a Europa com uma das franquias mais proeminentes da Red Bull, como a RB Salzburg ou a RB Leipzig.

Emerson (Real Betis)

A busca pelo próximo grande lateral brasileiro pode terminar com o surgimento de Emerson, de 21 anos, como um dos melhores jovens brasileiros do mundo.

O lateral-direito do Real Betis desfrutou de uma temporada estelar em La Liga, marcando 3 gols em 33 partidas, além de ganhar sua primeira convocação completa para a seleção principal do Brasil. Seu ritmo e habilidade garantem que ele seja uma forte ameaça em ambos os lados do campo, tornando-o um jogador valioso nos últimos 12 meses.

Ele tem vínculos com o Barcelona, que tem uma cláusula de primeira opção, com o Betis dando a Emerson a chance de brilhar em um dos maiores clubes do mundo, caso ele continue sua forma estelar durante os próximos meses.

Luiz Felipe (Lazio)

A Lazio está passando por um ressurgimento de forma nos últimos 18 meses e um dos líderes da acusação é o defensor Luiz Felipe. Tendo se juntado de Ituano em 2016, o ex-jogador juvenil se aperfeiçoou na Itália, tornando-se aos poucos parte da nova onda de talentos que irrompeu no Stadio Olimpico.

Ele fez mais de 60 partidas pelo Biancocelesti nos últimos 3 anos, incluindo uma campanha estelar 2019/20 na qual marcou 25 partidas, e marcou 1 gol na Série A italiana. Tendo já conquistado 3 troféus com a Lazio desde que se mudou para Roma, espera que o jogador de 23 anos continue seu progresso com os gigantes italianos por algum tempo.

Tete (Shakhtar Donetsk)

É incrível como Shakhtar descobre com tanta regularidade as estrelas brasileiras e lhes permite entrar na cena européia aparentemente do nada.

Tete é o último prodígio brasileiro a fazer exatamente isso, juntando-se ao Grêmio no início da temporada 2019/20. Em sua primeira temporada, ele marcou 8 gols em 31 partidas no campeonato ucraniano, entrando confortavelmente ao lado de compatriotas mais experientes, como Taison e Marlon.

A orientação deles já está tendo um impacto em seu desenvolvimento e certamente não será uma questão de tempo até que o jogador de 20 anos tenha todos os maiores times da Europa fazendo fila para sua assinatura.

Matheus Henrique (Grêmio)

O Brasil tem produzido alguns excelentes meio-campistas de mão ao longo dos anos e Matheus Henrique poderia ser o mais recente a se juntar a suas fileiras. O progresso de Henrique tem sido uma história lenta, mas suas habilidades melhoraram tremendamente no ano passado e ele está certamente entre os melhores jovens brasileiros do mundo neste momento.

Depois de se juntar ao Grêmio em 2019, após um empréstimo bem sucedido no ano anterior, ele fez parte de uma seleção juvenil brasileira que ganhou a Copa Toulon de 2019. Depois de se destacar fortemente em 2019 no Grêmio da Série A e na Copa Libertadores, o jogador de 22 anos fez sua estreia na equipe principal do Brasil no final de 2019, consolidando seu status de estrela em ascensão. Com as equipes europeias colocando uma maior necessidade de meio-campistas defensivos em seu primeiro time, talvez não demore muito até que o vejamos fazendo um grande movimento de dinheiro para longe do Brasil.

Reinier (Real Madrid)

O Real assinou recentemente muitos talentos prodigiosos de todo o mundo e Reinier é o mais recente prodígio brasileiro a chegar a Bernabeu. Ainda com apenas 18 anos, o jovem meio-campista assinou um contrato de 6 anos em 2020 no Santiago Bernabéu, mostrando o quanto Zidane e Co avalia seus vários conjuntos de habilidades.

6 gols em 14 partidas pelo Flamengo na Série A brasileira de 2019 mostrou que Reinier está confortável no terceiro ataque e já tem uma medalha de campeão da Copa Libertadores em sua coleção. 2 gols em 3 partidas pelo Real Madrid B mostraram ainda mais seu potencial e ele pode muito bem ser um dos principais jogadores da Liga dos Campeões por muito tempo.

Lucas Paqueta (AC Milan)

AC Milan vem se reconstruindo há algumas temporadas, mas é estrela do futuro, como Lucas Paqueta, que poderia ajudar a mudar sua sorte nos próximos anos. O meio-campista de 22 anos se tornou um jogador regular no time principal da Rossonieri e fez 37 partidas no ano passado na Série A no San Siro. Aos poucos, ele foi se somando a seu jogo completo, incluindo o desenvolvimento de uma melhor consciência para acompanhar seu ritmo natural e sua capacidade de finalização.

Paquete também causou impacto no cenário internacional, marcando 11 partidas e 2 gols pelo time principal do Brasil, incluindo um papel no sucesso da Copa América do Brasil em 2019. Um pouco mais de polimento e Paquetá poderia ser a próxima grande estrela que o Milan tem desejado.

Antonius (Ajax)

Ajax não é estranho para o desenvolvimento dos melhores jovens brasileiros e Antônio poderia ser mais uma importação que se torna um nome doméstico, cortesia de uma das melhores academias do mundo. O jogador de 20 anos de idade teve excelentes atuações pelo São Paulo na Série A nos últimos 12 meses, marcando 6 gols em 45 partidas.

Seu ritmo e sua artimanha farão dele um pesadelo para as defesas e a ligação com o compatriota David Neres poderá fazer do Ajax uma força tanto na Europa quanto na Eredivisie. Ele terá muitos clubes, tanto na Holanda quanto na Europa, observando atentamente o progresso de Antonius, para ver se ele se torna mais uma jovem estrela polida pelos gigantes holandeses.

Matheus Cunha (Hertha Berlin)

Às vezes uma segunda chance pode ser uma bênção e foi exatamente isso o que aconteceu com Matheus Cunha no Hertha Berlin. Tendo se mudado do lado suíço do Sion em 2018 para o colega RB Leipzig, da Bundesliga, Cunha lutou pela forma apesar do tempo de jogo regular.

No entanto, uma mudança para o Olympiastadion fez maravilhas onde ele marcou 5 gols em 11 partidas pelo Hertha desde que assinou em janeiro de 2020. Ele também estrelou para a equipe olímpica brasileira marcando 14 gols em apenas 16 partidas, o que o torna um atacante que está melhorando muito rapidamente.

Com a capacidade de jogar tanto na ala quanto como atacante central, Cunha é um dos melhores jovens jogadores de futebol do mundo e vai jogar nas maiores ligas da Europa ainda por muito tempo.

Gabriel Martinelli (Arsenal)

Arredondando nossa lista dos melhores jovens brasileiros, a ascensão de Martinelli à fama no The Emirates foi uma das melhores histórias da temporada do Arsenal, especialmente dada sua forma anterior. Tendo jogado apenas pelo time da Serie D de Ituano, o jovem ponta-direita foi uma quantidade desconhecida para muitos observadores casuais.

No entanto, seu verdadeiro potencial foi rapidamente demonstrado ao marcar 10 gols em 26 partidas pelo The Gunners em todas as competições, com apenas Alex Lacazette e Pierre-Emerick Aubameyang marcando mais gols. Com o Arsenal em fase de reconstrução, o jovem astro é um dos nomes que o clube procura construir ao redor enquanto procura por um retorno à Liga dos Campeões.

Publicações Relacionados